Ciúme Retrospectivo: a obsessão pelo passado do parceiro

Ciúme Retrospectivo: a obsessão pelo passado do parceiro

Você se considera uma pessoa ciumenta? Antes de responder, saiba que existem vários tipos de ciúme… Vejamos: Ciúme pontual (considerado até certo ponto “normal”, é o mais comum entre casais; geralmente está relacionado a situações específicas e uma conversa quase sempre resolve o problema); Ciúme proposital (provocado por um parceiro inseguro e que tem a necessidade de se autoafirmar); Ciúme patológico (devido a um sentimento de desconfiança constante, a pessoa deixa de realizar suas atividades para monitorar e investigar o parceiro); e Ciúme Retrospectivo (que é o medo do passado – amoroso e sexual – do parceiro).

O ciúme retrospectivo também é conhecido como Síndrome de Rebeca, termo que faz referência ao filme “Rebecca”, de Alfred Hitchcock que, por sua vez, é inspirado no romance “Rebeca, a mulher inesquecível”, de Daphne du Maurier. A obra conta a história de uma mulher atormentada pelas lembranças da primeira esposa do seu marido, já falecida.

De fato, quem sofre deste tipo de ciúme se torna obcecado pelos fantasmas dos “ex”, na maioria das vezes, pessoas imaginárias. São constantes os pensamentos obsessivos, imagens intrusivas, alterações de humor, ansiedade, paranoia, medo, raiva… A pessoa começa a fazer perguntas recorrentes sobre o ex, averiguando detalhes da relação anterior, tentando chegar à “verdade” do que “realmente aconteceu”, comparando constantemente, e insistindo em falar do passado sexual do outro, além de querer conhecer a opinião de amigos e familiares.

O ciúme pode aumentar se o relacionamento anterior do parceiro tiver sido muito intenso (incluindo casamento, filhos, construção de patrimônio ou posição social, superação de um problema grave ou forte cumplicidade sexual). A situação se agrava quando o término se deu por fatores tais como distância física, e não por conflitos inerentes ao relacionamento.

Com o advento das mídias sociais o ciúme retrospectivo se torna ainda mais intenso. Facebook, Instagram e Twitter, tornam-se ferramentas tentadoras, fáceis e eficientes para checagem de perfis alheios. Há histórico de posts, comentários e imagens do passado do outro. Em pouco tempo, a vida de casal se converte em um trio, no qual a sombra do parceiro anterior está sempre presente.

Na maioria das vezes, o ciúme retrospectivo causa um profundo desgaste no relacionamento, provocando aquilo que o ciumento mais teme: o término da relação. Em casos mais graves o relacionamento pode, inclusive, se tornar abusivo.

Tenho Ciúme Retrospectivo. Como paro de sofrer?

Agora que você entendeu o que está acontecendo, e que isso tem um nome, seguem algumas orientações que podem ajudar a superar o problema:

  • Em primeiro lugar, não importa se você é homem, mulher, jovem, idoso, hetero ou homossexual; qualquer pessoa pode sofrer de ciúme retroativo;
  • Parece óbvio, mas muitas pessoas esquecem que o passado não pode ser modificado e que sofrer por algo que você não pode controlar é desperdício de tempo e energia;
  • Tenha em mente que todas as pessoas possuem um passado, inclusive você. Nossas experiências de vida foram importantes para nos tornar a pessoa que somos hoje. Assim, o passado do seu parceiro serviu como estrada para levá-lo até você. Seja grato por isso;
  • Não use as redes sociais como combustível para o ciúme, nem perca energia revisando perfis e repassando comentários e interações;
  • Trabalhe em prol do relacionamento, não contra ele. Se você está com ciúme das experiências que o seu parceiro viveu com o ex no passado, crie suas próprias memórias com ele, isto é, construam juntos uma nova história, no presente;
  • Converse sobre seus medos com seu parceiro. Fantasias precisam ser combatidas, não subestimadas, e comunicação é crucial;
  • O ciúme, qualquer que seja o tipo, frequentemente está correlacionado com insegurança, baixa autoestima e dificuldades com vínculos. Procure um psicólogo para aprender a lidar melhor com estas questões.

Por último, lembre-se que relações amorosas saudáveis são baseadas em transparência e em valores tais como respeito, sinceridade, compreensão e confiança. Se o seu parceiro escolheu ficar com você é porque gosta. Simples assim.

Compartilhe esse conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Alguns artigos do mesmo tema